• TH

10 Coisas a saber antes de fazer uma Obra na sua Casa

Não importa o motivo pelo qual pretende remodelar a Casa. Ora porque gosta de se sentir bem, ora porque a mesma já não está adaptada ao seu dia-a-dia. A verdade é que mudar a casa é um momento importante nas nossas vidas que normalmente marca uma nova era. Esta é uma solução utilizada também por muitas pessoas que não conseguem comprar uma casa nova (devido aos preços elevadíssimos do mundo imobiliário) mas que conseguem, com o seu espaço e algumas intervenções, voltar a sentir o feeling de que vivem num espaço novo. Este guia foi desenvolvido para as pessoas que decidem fazer uma intervenção na sua casa mas não estão propriamente à vontade no que diz respeito a construção ou a uma relação com profissionais desta área. Existem muitas artimanhas e deve estar preparado para lidar com isso ou estará mais exposta a surpresas desagradáveis.


1. Escolha o melhor modelo para executar a sua Obra


Existem duas formas de fazer uma obra na sua casa: ou contrata um Empreiteiro para executar toda a Obra ou sub-contrata cada especialidade de forma isolada. Cada um deles tem vantagens e desvantagens que vamos partilhar.


Contratar um Empreiteiro será sempre mais dispendioso. Neste caso, grande parte dos Empreiteiros tem apenas 2 ou 3 Colaboradores e o que fazem é sub-contratar especialidades, colocando a sua margem em cima. Ainda assim, esta possibilidade tem as suas vantagens, sobretudo se não tiver muito tempo e quiser ter alguém a tratar de todo o processo.


Sub-Contratar cada especialidade vai ser sempre mais económico, mas para além de o obrigar a investir muito tempo a articular com cada uma delas, vai obriga-lo a perceber de cada uma. A maior dificuldade prende-se ainda com o facto de normalmente não conhecermos ninguém para determinados trabalhos, podendo por vezes atrasar o processo.



2. Contrate um Arquitecto ou Engenheiro Civil para o ajudar


Se a sua ideia for pintar as paredes e colocar uns rodapés novos, então pode passar para o ponto seguinte. No entanto, se pretende remodelar uma Cozinha ou o WC, aí já aconselharia a contactar um profissional. Com o aumento considerável de profissionais nestas áreas, é cada vez mais acessível conseguir um pequeno projecto por um preço bastante atrativo, o que irá salvaguardar muitas questões que não está a ver à partida. Existem muitos Arquitectos em regime de freelancer que num período de poucos dias conseguem entregar um bom estudo para uma cozinha ou um WC, com valores que podem rondar os 200€ para um projecto pequeno. O valor investido nestes profissionais irá ajudá-lo a estar salvaguardado perante um Empreiteiro e permitirá exigir o que está planeado. Solicite estudos 3D para que possa avaliar cada espaço e um caderno de encargos com o descritivo das tarefas a realizar. Se necessário pode contratar um engenheiro para avaliar o caderno de encargos e garantir que tem um dossier de obra irrepreensível.



3. Peça um caderno de encargos e um mapa de quantidades


São duas expressões que vai ter que se habituar a ouvir pois podem valer de muito a alguém que compra uma determinada obra. O cadernos de encargos é normalmente desenvolvido por um Arquitecto ou um Engenheiro e detalha todas as tarefas e materiais utilizados em determinada obra, separados por especialidade.


O mapa de quantidades vai estabelecer as quantidades específicas de cada um dos materiais selecionados no caderno de encargos. Este documento será valioso para que qualquer empreiteiro lhe possa dar um orçamento para a sua obra e vai também permitir que você consiga acompanhar e medir o que está a ser aplicado na sua obra.



4. Peça vários orçamentos


Esta é uma regra obrigatória. Num mundo tão competitivo como o que vivemos, não pedir um orçamento significa não gostar de ganhar dinheiro.


É importante salientar de que no mundo da construção os empreiteiros gerem muitas vezes os seus orçamentos com base na quantidade de trabalho que têm. Por isso, se tiverem muito trabalho vão lhe dar um orçamento alto (se for aceite melhor, se não também não faz falta nenhuma), se tiverem pouco trabalho vão lhe dar um orçamento baixo. Assim, ao pedir vários orçamentos vai conseguir cruzar informação e garantir que está a comprar bem a sua obra.



5. Pergunte por obras anteriores e peça para fazer visitas


Não há melhor forma de conhecer o trabalho de alguém que visitar um trabalho anterior. Esta questão irá também servir para perceber o à vontade que o empreiteiro que selecionou tem para visitar uma obra que já realizou no passado. Aproveite esta visita para verificar pormenores como os remates dos tectos ou as juntas dos cerâmicos do WC. Veja também como estão colocadas as portas e se as pinturas têm marcas. Se possível faça algumas perguntas ao proprietário da casa que visitou e pergunte como correu todo o processo.



6. Pergunte pelas marcas e referências dos materiais


Este é um ponto muito delicado, pois pode ter um impacto muito grande num orçamento comparativamente a outro. Muitos empreiteiros utilizam a estratégia da substituição de marcas e materiais para conseguirem baixar orçamentos. Nem sempre este ponto é negativo, mas é fundamental que seja comunicado ao Cliente. Infelizmente existem alguns materiais que podem parecer iguais mas apresentam características técnicas muito diferentes (inferiores em alguns casos). Garanta as marcas e as referencias que estão no contrato para depois poder confirmar as mesmas em obra. É importante estar atento sobretudo a materiais mais técnicos como Misturadoras, Cerâmicos ou referências de electrodomésticos.



7. Faça um contrato


Pode parecer secundário, mas é algo incontornável. É a única forma de ficar protegido perante uma compra deste género. E normalmente não são valores baixos. Por isso, contacte um Advogado que lhe fará um contrato por cerca de 100€ e o ajudará a reconhecer as assinaturas. Sim, é importante reconhecer as assinaturas para que o mesmo contrato seja válido. Lembre-se que será a única forma de poder exigir algo se as coisas não correrem como previsto e servirá também para colocar pressão sobre o Empreiteiro que realizar a obra.


8. Detalhe as tarefas e pagamentos numa calendário


A melhor forma de garantir um bom ritmo dos trabalhos é adaptar os pagamentos às tarefas que estão descritas no caderno de encargos. O ideal é conseguir atribuir um valor a um grupo de tarefas e apenas liberta esse valor quando confirmar a execução das mesmas. Por exemplo:

Periodo 1: Colocar o pladur na sala; Colocar os cerâmicos no WC;

Fazer a instalação eléctrica; Total: 2000€

Tempo de execução: 5 dias

Período 2: Pintar a Sala; Colocar os Roupeiros;

Instalar o recuperador de calor;


Total: 1850€

Tempo de execução: 8 dias

Assim consegue garantir que vai controlando a execução dos trabalhos conforme vai libertando os valores.


9. Marque visitas periódicas à obra para libertar pagamentos


Nunca liberte um pagamento sem confirmar a evolução dos trabalhos. A única forma de saber a evolução dos trabalhos é garantir visitas periódicas para acompanhar os trabalhos. É importante que o responsável da obra saiba da sua visita para garantir que as coisas vão estar executadas nesse momento. Não se esqueça de utilizar materiais de proteção individual durante a visita e evite levar crianças para este momento.



10. Garanta que não lhe vão pedir mais dinheiro no final


Infelizmente é uma prática corrente os responsáveis pelas obras irem acumulando alguns pedidos que o Cliente vai fazendo para no final poder apresentar uma conta com a valorização de todas essas alterações. De um ponto de vista ético, o empreiteiro deveria avisar que determinada alteração têm um determinado aumento de custo. No entanto, não o costumam fazer e os Clientes acabam muitas vezes por apanhar uma surpresa no final (normalmente desagradável). Pergunte sempre qual o custo da alteração que está a solicitar para garantir que não terá surpresas. E não aceite respostas como “não será nada de especial”.


5 visualizações

Guimarães, Portugal

Tel: (11) 3456-7890

©2020 por Projeto Casa. Orgulhosamente criado com Wix.com